GUJ Discussões   :   últimos tópicos   |   categorias   |   GUJ Respostas

Sistema: Java / PHP - Qual investir o tempo?

java
php
Tags: #<Tag:0x00007f75fb9f3350> #<Tag:0x00007f75fb9f3210>

#1

Boa tarde a todos,
Seguinte, gostaria de iniciar um sistema para supermercados. E gostaria da ajuda de vocês. Vou elencar minhas características e dúvidas em tópicos, acho que ficará mais fácil para mim e para vocês:

Características:

  1. Preciso desenvolver o meu próprio sistema, devido o meu modelo de negócios.
  2. Não sou programador profissional, mas trabalho a 5 anos com PHP/MYSQL (pequenas Aplicações WEB).
  3. Não tenho uma equipe para programar. Será um trabalho longo, de um homem só. :slight_smile:
  4. Estou disposto a passar por uma longa curva de aprendizagem para ter o melhor sistema possível.
  5. Minha aplicação vai envolver: Aplicativo Android + Sistema local.
  6. Pretendo que o sistema evolua conforme as necessidades futuras.
  7. Eu entendo que é mais prático desenvolver um sistema em uma linguagem que se tem mais prática. Mas não tenho problemas em aprender algo novo, se for necessário.
  8. Pretendo usar um banco de dados hospedado em um servidor online.

Dúvidas:
9. Qual linguagem usar? Considerando os seguintes pontos:

  • Segurança;
  • Gastos para manter;
  • Comunicação entre o app e aplicação local;
  • Privilégios de usuários;
  • O uso de periféricos (Leitores de código de barras, arduinos, telas touch…)

Já agradeço.


#2

bom se fosse eu faria o seguinte vou separar em tópicos tbm…hehe
já que é um projeto de um homem só…hehe

  1. Desenvolveria em Java usando jsf e primefaces (Aplicação Web);
  2. Escolheria java pq faria um app em android;
  3. o que for de banco de dados deixa no banco, nada da locurage do Hibernate;
  4. Maven nem pensar, faça download do seu jar e adicione no projeto;
  5. E não menos importante, claro que vc vai usar uma IDE de sua escolha mais gostaria de te dizer que o Netbeans é uma IDE excelente pra quem está começando e não tem tanta burocracia igual o eclipse.

Obs.: ISSO É O QUE “EU” FARIA