GUJ Discussões   :   últimos tópicos   |   categorias   |   GUJ Respostas

Como devo me qualificar para entrar no mercado de trabalho?

java
Tags: #<Tag:0x00007f8156b3f2c0>

#21

Talvez nunca tinha visto empresas usar Thymeleaf, mas existe sim empresas importante usando Thymeleaf.

Se você não conhece as empresas que usam Thymeleaf seria irresponsável dizer que somente a empresa do AlgaWorks usa Thymeleaf.


#22

Essa a única que conheço e foi a partir dela que vi esse nome pela primeira vez. Fora isso as vagas que vejo não citam, vejo citar Struts(raro). Ultimamente estão dão mais atenção para Angular JS (isso ate surgir outra coisa da moda), JSF e Spring (aqui fico na duvida se a empresa tem necessidade mesmo de está utilizando as duas/ mais frameworks de MVC).

{ },s.


#23

Talvez não tenha lido direito minha postagem lá em cima, depois vai lá e dá uma olhada.


#24

:+1:


#25

Não to entendendo vcs.

Thymeleaf é um template engine, assim como velocity, mustache, certo?

Qual preocupação de uma empresa adotar ou não determinado template engine server side?

Spring MVC e VRaptor por exemplo utilizam na views JSP, que funcionaria como o Thymeleaf. Mas nada impede que vc tire o JSP e coloque o template engine que achar melhor.

Pq essa confusão com Angular JS?

Nunca vai ter vaga querendo vc saiba trabalhar com um template engine especifico, por isso vc nao ta achando nada com Thymeleaf.

"Thymeleaf is a Java XML/XHTML/HTML5 template engine that can work both in web (Servlet-based) and non-web environments. It is better suited for serving XHTML/HTML5 at the view layer of MVC-based web applications, but it can process any XML file even in offline environments. It provides full Spring Framework integration.

In web applications Thymeleaf aims to be a complete substitute for JSP, and implements the concept of Natural Templates: template files that can be directly opened in browsers and that still display correctly as web pages.΅


#26

@norbAns, muito obrigado em esclarecer, tantas informações desencontradas rsrs, então eu acho que continuarei com os estudos e tentando me aprofundar naquilo que já tenho conhecimento, somente estudar ANgular JS quando surgir oportunidade de trabalhar numa empresa que usa essa tecnologia,

Com isso vejo o Thymeleaf e o Angular com focos um pouco diferentes. O Thymeleaf serve para dinamizar nossas páginas diretamente no servidor e o Angular é para o cliente (browser). Você pode ter um template montado no servidor com a ajuda do Thymeleaf e depois usá-lo com o Angular no browser. E pode também usar o Thymeleaf para templates de, por exemplo, e-mails que precisar enviar.

De qualquer forma, o Angular acaba que inibe bastante o uso de frameworks como o Thymeleaf ou mesmo o próprio JSP. Não sei se algum dia o Thymeleaf vai estourar ou ter seus dias de glória, mas acho que já é, de fato, uma opção melhor que o JSP para os casos onde o Angular (ou frameworks similares) não seja uma opção.


#27

Ao receber o retorno das pessoas que contribuem para o grupo do GUJ conseguir perceber que estudar para Android não seria o mais recomendado, pois o mercado de trabalho costumam contratar programadores Sênior para criação de sistemas Mobile, e o cliente tem interesse dos projetos serem terminados em pequeno espaço de tempo, para isso seria realmente necessário uma pessoa mais experiente.

E programo em Spring Boot ou MVC e com isso uso o Thymeleaf, que não faz sentido ficar comparando Thymeleaf com Angular.

O Angular 1 tem grande diferença com o 2, e que é mais preferível para mim usar Thymeleaf do que JSP, e continuarei estudando Spring com Thymeleaf e para integração do Layout continuarei usando JavaScript com Bootstrap, porque o Angular 2 ainda não está muito maduro e o Angular 1 está maduro porém existe algumas empresas que estão arriscando em usar o Angular 2.

Na minha opinião muitas empresas continuaram em Angular 1 até a versão 2 ficar concretamente estável, o melhor é o programador júnior estudar JavaScript e CSS e quando aparecer oportunidade de trabalhar com essas tecnologia somente usar e estudar quando entrar na empresa, porque além do mais Angular é puro Javascript, é isso que tenho a dizer.


#28

A questão desde tópico é se qualificar para entrar no mercado, onde Thymeleaf não tem um legado significativo, além de ser fora de cogitação atualmente devido maior uso de soluções do lado client com Java Script. Mas nada impede de alguém adotar se achar melhor. Não questiono a qualidade dele, mas por ser pouco significativa sua presença no mercado, onde outras soluções server-side são mais usadas.


#29

Pode não ser só em mobile. Como você acha que o mercado de trabalho vai reagir quando microservicos criados em 6 meses por 1-2 seniores desbancarem projetos CRUD de grandes consultorias que levam 2 anos e um exército de novatos pra ficarem “prontos”?

Dica: da mesma forma.


#30

Não entendi o que disse


#31

O mercado de trabalho não está dando preferência pra sênior em mobile apenas, mas backend tb com microservicos, 1 ou 2 senior resolve o problema melhor do que um monte de programadores novatos. A diferença de produtividade entre os dois jeitos de se conduzir um projeto está absurda e a tendência é aumentar ainda mais.


#32

Como já disse antes, e o javaflex reforçou: não foque em frameworks, porém saiba o básico do que o mercado pede, para estar preparado para se sentir confiante numa entrevista. Ninguém é obrigado a saber tudo de tudo, mas se uma vaga te pedir Angular 2, por exemplo, saiba falar que você é programador Java, que está acostumado com orientação a objetos, e que você ficaria confortável em aprender Angular 2 com Typescript devido a isso. Diz que sabe usar as injeções de dependencia @Component, @Input que tem no Angular2, pois é bem parecido do que conhece no Spring.

Sobre AngularJS, NodeJS, React, saiba o básico de Javascript e diz que com esse básico já da pra pegar esses frameworks com facilidade.

Porém, saiba do que está falando, aprenda sobre esses caras (e outros). Uma boa dica para treinar e se aprofundar um pouco, é criar umas POCs de cada linguagem/framework desses, e ir colocando no seu github, assim, ao mesmo tempo que aprende, vai criando um portifolio.