GUJ Discussões   :   últimos tópicos   |   categorias   |   GUJ Respostas

Como é o dia a dia de um programador em uma empresa?

Bom dia, pessoal.

A bastante tempo acompanho esse fórum aqui de forma anônima e recentemente decidi criar uma conta para poder tirar minhas próprias dúvidas. Desculpem se elas parecerem de “noob”.

Gostaria de saber como é o dia a dia de um programador em uma empresa. Mesmo eu trabalhando como TI (infraestrutura) tenho curiosidade de saber como é e por isso, gostaria que se pudessem, respondesse a essas minhas perguntas abaixo:

  1. É puxado?

  2. fora as reuniões (sprints) e afins, o programador codifica o dia todo ou faz alguma outra função?

  3. Percebo que em algumas empresas exigem que um profissional contratado com competências X faça um trabalho que envolvem habilidades Y. Isso também acontece em demasia na área?

  4. de 0 a 10, o quão estressante é a rotina de vocês (no ambiente de trabalho).

Acredito que eu não seja o único “novato” a ter essas dúvidas (tomara… kkkk).

Desde já agradeço pelas opiniões e pela atenção. :grin:

2 Curtidas

Cara, depende muito de empresa para empresa, segmento para segmento, tecnologias envolvidas.
Ao meu ver, existe um (imenso) exagero, nem todo programador tem rotina estressante, caso contrário, pediria demissão e iria fazer outra coisa da vida.

De novo, depende de empresa para empresa. A maioria adapta um modelo de sucesso, ágil ou não, e acha que aquela é a nova onda. Cansei de passar por empresas que usavam metodologias “scrum like”. Funciona? Sim, de um modo torto, mas funciona.
A questão de atividades, a maioria precisa registrar suas atividades em sistemas como o Jira, indicando qual projeto/atividade realizou e quanto tempo dispendeu nisso. Fora os cafés e os cigarretes para quem fuma. Existem várias outras coisas que um programador pode fazer, desde assumir funções que não seriam suas (análise funcional, testes - exceto os unitários, etc).

Tem dois lados: se você só trabalha apertando parafusos, nunca vai saber como é trabalhar polindo. O primeiro aspecto é que a empresa se beneficia disso. O segundo é que o sujeito acaba evoluindo em uma competência que não possuía anteriormente.
Eu sempre encaro pelo segundo ponto.

Especificamente a minha, neste momento e conjuntura sócio econômica é muito baixo, algo em torno de 1. Porém, eu estou numa atividade muito menos estressante: governança de serviços.
Porém, quando era desenvolvedor SOA, girava em torno dos 6 ou 7.

Bacanas essas questões. Servem para desmistificar a visão que muita gente possui sobre a área.
Ah, e, sim, eu concordo que se a pessoa acha que se estressa demais, procure outra coisa para fazer…

5 Curtidas

É claro que depende de empresa pra empresa e isso é o que você mais vai ouvir nessa thread, mas vou responder baseado na minha experiência.

Puxado é, como todo trabalho. Você tem uma demanda, e tem que atingir ela. Ponto.
Agora, o modo que sua equipe vai tratar isso vai indicar se vai ser estressante ou não. No meu caso não é, felizmente.

De vez em quando fazemos café ou vendemos pão.
Brincadeiras a parte, nós programamos, ué. Claro que no meu caso, que sou DevOps, além de programar eu faço toda a infra da minha aplicação, como subir servidores e afins. Mas os programadores só programam e estudam.

Claro que existe uma “sobrecarguinha”, em que você as vezes faz o trampo de um engenheiro de soft ou então de um analista, mas nada que comprometa seu trampo. As vezes até ajudar um brother em outro setor com um projeto e afins, mas nada que possa te atrapalhar.

Cara, mas isso é em todo lugar, não só na área de t.i não. Agora, isso é bom ou ruim? Depende. Agrega aprendizado pra você, e aprendizado é algo que nunca é demais.

Depende do momento, mas atualmente, 2.

Seguinte, eu entrei como Infraestrutura interna e depois me tornei DevOps. O dia a dia é simples: você tem um projeto e um prazo. Até X dia, você tem que entregar X coisa. Então faça aquilo. Seja escrevendo código ou preparando a infra, fazendo o server funcionar ou estabelecer aquela conexão que deus sabe lá por que não autentica.

Geralmente se usa alguma ferramenta para fazer a administração de prazos, como o Zoho ou o Trello.

5 Curtidas

Então é possível entrar em algum local como infra e depois me envolver com programação em si?

Porque hoje faço estágio num local em que não possui desenvolvimento de sistemas, lá o pessoal dá suporte para o sistema do local e resolve coisas relacionadas a servidor, basicamente.

Mas me identifico muito com programação e gostaria de trabalhar em algo assim.

Hoje to mirando um estágio, ainda em infra, mas numa empresa que entrega soluções para outros clientes, então tô indo com a intenção de algum dia talvez ter contato com os sistemas e tô também pesquisando melhor o que é ser/fazer DevOps.

Se a empresa fornece esse meio de “crescimento”, é possível sim. Tudo isso é resolvido com conversa com seus gestores.

//