GUJ Discussões   :   últimos tópicos   |   categorias   |   GUJ Respostas

Como cobrar um software?


#1

Ola pessoal.

existe algum livro ou algum material que mostre as formas mais utilizadas para precificar um software.

qual é a melhor forma (vender tudo ou alugar?)

e a questão da assisntencia?

tenho várias dúvidas sobre isso...

alguem poderia passar um link bacana ou comentar sobre essas questões aqui?

obrigado


#2

Muita gente cobra por hora de trabalho. Aí, com nas nas estimativas de esforço e tempo, vc faz os cálculos pra saber quantas horas irá gastar e quanto vai custar tudo.


#3

Existem duas maneiras de precificar, para tres formas de comercialização diferentes, ao meu ver:

Como cobrar:
1) Como dito acima, vc calcula o seu esforço vezes a sua hora de trabalho. Incluir um valor da sua "ideia" caso ela seja sua. Some tambem o que vc gastou pra montar esse software, como livros especializados para este projeto, deslocamentos, viagens, etc.
2) Calcula-se o valor agregado que o seu software trará para o cliente, formando um preço, normalmente mais alto do que o primeiro modelo.

Como comercializar:
1) Entregando os fontes. Nesse caso, o cliente é o dono do seu software. Vc cobraria por um trabalho semelhante a uma alocação no cliente.
2) Criar um pool de clientes para a utilização desse código. Neste caso, ninguem é dono unicamente do código, o sistema é compartilhado. Pegue o valor calculado, some o gasto nas diversas instalações e setups iniciais e divida pelo consorcio.
3) criar um ASP (Application Service Provider), onde o cliente paga pelo aluguel desse software. É comum cobrar um lastro mensal para manutenções e atualizações, como um colchão de horas para o usuário gastar. Neste caso, divida o valor liquido do software (só as horas mesmo) por um periodo que vc ache rasoavel e trabalhe com contratos maiores do que este valor.


#4

Outra maneira de se comercializar eh vendendo Software as a Service


#5

SaaS é só um remake (rename seria mais correto) do antigo ASP... rs


#6

coloca ai 35 a hora, e calcula pela sua experiência quantas horas por caso de uso?
coloca mais 10% e fecho!!!!

abraço


#7

No final de tudo, vc faz calculos mirabolantes, dá o preço ao cliente, ele joga pra baixo, e vc fecha...


#8

Rapaz, Isso me lembrou uma situação comica (vergonhosa????!?!) pela qual passei certa vez. Um chefe (Mr. Fulano) estava negociando um contrato com um cliente. Durante a análise inicial, o chefe não esperou o resultado. Simplesmente olhou para o quadro, fez cara de quem estava calculando e mandou:

  • Rapaz, esse projeto aí a gente mata com X desenvolvedores, em Y tempo. Vai custar Z00.000,00

O cliente respondeu

-Mr Fiulano, Não sei para que trouxe esses analistas e arquitetos. Se é para chutar, Então eu chuto para baixo e pago Z0.000,00

O chefe, claro, ficou de cara no chão sem saber o que responder...


#9

oitmo otimo....

muito obrigado!

alguem conhece algum livro que fale sobre esse tema?


#10

Esqueceu dos custos indiretos e impostos?


#11

Livro eu não conheço e acho dificil de um autor tratar desse tema sem sair das ideias passadas nessa thread... No fim de tudo, cobrar por um serviço (qualquer tipo de serviço) é:

  • Custos fisicos: sua mão de obra alocada nesse projeto, maquinas, livros, etc.
  • Impostos
  • Custo intelectual (caso a ideia seja sua)
  • Percentual de camaradagem (se o cara for um FDP, multiplica-se os valores por 100!)

#12

Bom, para poder ter alguma base do quanto cobrar, o único jeito é lendo alguns livros de Eng Software, no qual aborde o tema Estimativa de Custos de Software. Acho que o livro do Sommerville e a nova edição do Pressman abordam o tema.

Algo tb que pode ser feito é aplicando algumas técnicas, como o APF (pontos de função) para se saber o tamanho do produto, e tirar um preço desse cálculo.

Eu já prefiro a opinião do Rodrigo, e utilizar mais um bom senso do que eu estou construindo, e montar um método para calcular o meu trabalho. :wink:


#13

é...a opinião do rodrigo é bem coerente...

no que eu to tendo de aula de engenharia de software não foge mto disso não...

o unico detalhe maiorzinho e que por isso deve ser considerado, é que ao calcula o tempo que vc acha que vai demorar ai nessa brincaderinha, pode soma mais um chorinho de tempo a mais (e com isso seu salario hora, tudo o que envolver tempo em relação a custos) só por via das duvidas...(possivelmente o que o kra ali em cima considero em relação aos 10%)

se vc é experiente eu aconselho uns 15 %, caso não seja, provavelmente terá mais problemas, mais dificuldades, adicione mais 35 ou 40...

se vc terminar antes vc que ainda é o eficiente...rsrsrs


#14

Bem essa parte de "gordura" para possiveis falhas é necessário sempre, mas isso fica no calculo do esforço por iteração. Calcular no final pode elevar muito o preço do seu software e assustar o cliente, afinal, bicho-papão de cliente é nota fiscal!
Se vc conseguir montar um Backlog das suas iterações e ir colocando o esforço "real" e a gordura, na hora do cliente baixar o preço (que é fato, vai acontecer) vc sabe onde pode descer, onde vc pode deslocar, onde o seu "escopo" pode ajustar e por ai vai...
Estou entrando agora no mundo das metodologias ageis e pelo que vi, para projetos do eu-sozinho é a melhor coisa do mundo!

A materia do Rodrigo Yoshima na última Mundo Java é muito boa pra abrir novos caminhos e pensamentos...


#15

pois é...

imagine que vc vai gastar 100 reais pra fazer alguma coisa, e por isso quer lucrar 50.

se vc pedir 150, o cliente vai kerer penchincha de qualquer jeito e vc vai acaba vendendo por 125

se vc cobra um pokinho a mais, 170, vai vende por 140 +-... (considerando que se aumento mais vai conseguir abaixar um pouco mais, e ele vai insistir mais nisso tb por estar mais caro)

se vc pedir um pouco mais, 200, ele vai acaba abaixando pra 150 pra ele, ele te efz abaixa pra carmba o preçoe saem os dois contentes...rsrsrs

não é uma boa ideia ir com um lucro não mto grande pra hora de negocia, pq isso sempre abaixa, se tratando de um lucro maior, vc consegue chegar mais proximo do desejado... (caso por ai de gente levando 100 % em cima é o q nao falta... eu só falei em 40% e se o kra for novato...rs)


#16

O problema maior aqui é vc falar pro cara que é 200 e o cara se assustar e ir embora.
Jogue limpo com ele. Mostre seus custos, mostre sua margem de segurança.
Eu já fiz assim com um cliente:
Ele queria usar meu software (SFA) junto com um pool de empresas mas não queria bancar o preço que eu tinha dado pra ele.
Eu abri os custos e mostri pra ele a minha margem de lucro e a minha margem de segurança. Caso o projeto não tivesse problema (o risco maior era ele não saber o que queria e mudar o escopo a todo momento) eu devolveria o dinheiro a ele, firmado em contrato.
Deu no de sempre, o projeto que sairia por X + Y de margem, ficou com X + Y + Z de mudanças... ele pagou e depois me chamou pra fazer outro projeto!


#17

a maioria das empresas que vejo ai.. cobram por hora.. na empresa que trabalho as prestadores de serviço cobram 85,00 a hora .net e outra em vb tb o mesmo valor.


#18

pelo contrário, as grandes fabricas estao abolindo o uso de metricas como APF.


#19

hum... mais ainda é muito comum.. e a empresa que referenciei é de SP e grande.. Gemco. Era brasileira.. e foi comprada por um grupo de alemao nao sei bem direito mais foi vendida.. todos os servicos dela é por hora e o mais barato 85,00.


#20

Existem cursos e livros especializados mas eu não recomendaria nenhum deles. Aliás, um dos "profesorres" destes crsos eu considero a pessoa mais insuportável para se lidar no mundinho técnico brasileiro, o cara só tem papo de vendedor, 24 horas.

Se você quer realmente aprender a vender software aprenda a vender serviços. Existem diversos artigos e livros interessantes na literatura de negócios sobre o tema.

Se só quiser um valor para o sistema que te pediram primeiro tente fazer um contrato de escopo aberto. Se não acotnecer faça uma estimativa de quanto tempo vai demorar para fazer, multiplique pelo seu valor hora, adicione 50% e proponha ao cliente. Não é uma métrica científica nem nada mas vai te dar um número.